10 de dezembro de 2015

[Resenhas] Quem é você Alasca?, John Green



SPOILER

Sinopse
Miles Halter vivia uma vidinha sem graça e sem muitas emoções (ou amizades) na Flórida. Ele tinha um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história. Uma dessas personalidades, François Rabelais, um escritor do século XV, disse no leito de morte que ia em “busca de um Grande Talvez”. Para não ter que esperar a morte para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir. Ele vai para a Escola Culver Creek, um internato no ensolarado Alabama. 

Lá, ele conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez. Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma indecifrável de seus olhos verde-esmeralda.




(Tumblr)



Impressões

Quem é você Alasca é um livro que eu pretendia ler desde o ano passado quando a febre "John Green" estourou de vez. E não só por isso, mas principalmente por essa capa de margarida que é oque mais me encantou, confesso. Então finalmente tive a oportunidade de adquiri-lo esse ano e não tardei em começar a leitura, o resultado foi uma depressão literária.
Tudo bem deixe eu me explicar antes que você me entenda mal e acredite que estou insultando o livro ou sei lá o que, pelo contrário. De início somos introduzidos ao sem graça mundo de Miles que não possui muitos amigos, nunca bebeu ou foi a uma festa e nem mesmo viveu grandes aventuras Me identifiquei :B . Seu maior hobbie é memorizar as últimas palavras de grandes ícones e um dos seus favoritos citou que "Sai em busca de um grande talvez". É a partir disso que ele decide ir para o internato onde o pai estudou para buscar seu "grande talvez".
Assim que ele chega ao local nota que definitivamente nada mais será o mesmo, até o clima é diferente. Então conhecemos seu colega de quarto, o coronel, que para mim tem uma das melhores personalidades desenvolvidas pelo John, ele é incrível gente. Não o tipo de amigo que te abraça ou tem os melhores conselhos, mas aquele que te empurra e não o deixa cair. É explosivo e engraçado, rebelde e deslocado. Também temos o Takumi, a Laura (Que tem uma queda pelo Miles) e por fim, Alasca Young, que rouba a cena. 

(Tumblr)

Ela é o tipo de garota instável que ao mesmo tempo que tem paciência para ensinar pré-cálculo é intensa em suas ações. Ela fala sobre tudo, não tem vergonha de beber e fumar e seguir regras não é o seu forte. Ou seja, o contrário de Miles. Esse é o motivo da frase acima, uma das minhas preferidas. E também temos outra citação clássica da Alasca, "como sairemos desse labirinto de sofrimento?" Que mais abaixo, irei dizer o que entendi com isso.
Juntos esse grupo apronta poucas e boas em Culver Creek dando muita dor de cabeça para o águia, uma espécie de inspetor, mas nos ensinam diversos valores. E o Miles até ganha um apelido, "gordo", uma ironia já que ele é magro feito um flamingo :P.
O livro é narrado a partir de dias que se dividem no "antes" e "depois" de um grande acontecimento, chocante por sinal. Eu pessoalmente não esperava e confesso que sofri, mas aprendi muito. Por isso o "depressão literária" acima, um aviso, prepare-se.
E a grande lição que tiro dele é que se não por mais que tenhamos que sofrer, chorar, sorrir, brigar ou seja lá qual for a emoção se não sairmos do comodismo, da linha de conforto e nos arriscarmos no labirinto da vida será sempre a mesma coisa. A mesma rotina, os mesmos dias, as mesmas pessoas. Por isso, arrisque-se, viva, liberte-se, perdoe, ame ... Porque de qualquer forma, no final, a saída dele será a morte. 
É perfeito, super recomendo

Frases Marcantes

"Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer."

“Não sabia se podia confiar nela e já estava cansado de sua imprevisibilidade - fria num dia, meiga no outro; irresistivelmente sedutora num momento e insuportavelmente chata no outro.”
“Você não pode me mudar e depois ir embora.”
“Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.”

"Chega uma hora em que é preciso arrancar o Band-Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados."

É isso pessoal, essas foram minhas impressões do clássico de John Green. Você também tem algo a falar sobre ele? Fique à vontade, e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ei obrigada por comentar, saiba que isso me deixa muito feliz.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...